Revista eletrônica de literatura e cultura

do Grupo Literário A ILHA.

JUNHO/2010

 

PRA FALAR DE AMOR...

Luiz Carlos Amorim (escritor e editor - Http://luizcarlosamorim.blogspot.com)

Não quero falar do inverno, de solidão, de saudade. Quero falar de aconchego, de carinho, de ternura. Quero falar de seu sorriso, dos seus olhos castanhos, da sua companhia. Pois eu gosto de acordar com o seu beijo, de dizer-lhe "eu te amo", assim, de maneira simples, descomplicada e sincera.
Gosto das coisas simples: de um sorriso de criança, de um rio de águas claras, de flores, campos e praças. E gosto do meu amor. Gosto da sua companhia, na noite quente ou fria, na tarde de chuva ou de sol. Também gosto de poesia, seja com rima ou sem ela. Mas gosto mesmo é dela, meu poema mais bonito...
Gosto de natureza, simplicidade, pureza, da flor do jacatirão, de terra, mar e de sol.
E gosto mesmo é dela. De segurar sua mão, de sussurrar no seu ouvido, de misturar nossos eus. Gosto do sol na pele, mas gosto mais da luz dos seus olhos castanhos a aquecer minha alma.
Gosto de sonhar, viajar, a bordo do seu sorriso. Ele me embala, me enleva; me leva de encontro ao seu coração. Se embarco numa saudade, numa lágrima, numa dor, que falta eu sinto dela: me perco pelo caminho, à procura da passagem, que é a janela do sorriso, o sorriso da chegada.
Aqueles olhos castanhos, brilhantes pedaços de sol, entraram pelos meus e nunca mais saíram... Aqueles olhos castanhos - meigos, brejeiros, malandros, sinceros - são as luzinhas acesas na janela do seu rosto, convite irresistível que me atrai para o aconchego carinhoso do seu/nosso coração. E eu me sinto em casa, com todo amor que há lá dentro. Só saio pra ver de novo aquelas luzes castanhas convidando-me a entrar.
O meu poema é ela, inspiração, emoção, a rima do corpo-a-corpo, pele-a-pele, boca-a-boca, o ritmo em sincronia de corações como um só... A métrica da ternura.
E eu me refaço em nós. Sou eu, completo, por inteiro, sou nós, sou ser. Éla é parte de mim, indivisível, é coração que pulsa no meu peito, é luz a brilhar no meu olhar, é música a tocar nossa canção, é ternura de mãos entrelaçadas, é carinho ao tocar de peles.

 

 

SAIU A EDIÇÃO COMEMORATIVA DOS 30 ANOS

DO SUPLEMENTO LITERÁRIO A ILHA

Já está circulando a edição impressa doSuplemento Literário A ILHA de junho, comemortiva do trigésimo aniversário do Grupo Literário A ILHA e de sua revista e já esta no ar neste portal a edição on-line, com o mesmo conteúdo. Nesta edição especial de aniversário, a revista traz artigos de escritores catarinenses de renome, como Urda Alice Klueger, Enéas Athanázio, Mary Bastian, Maria de Fátima Barreto Michels, Célia Biscaia Veiga, Celestino Sachet e também Irene Serra, do portal Rio Total, além de muita poesia e informação literária e cultural. Essa é a edição de número 113 da revista. Se você não conhece ainda, vá até a nossa página "Suplemento Literário A ILHA" .

 

 

MÊS DOS NAMORADOS

O Grupo Literário homenageia a todos os namorados e enamorados com esta edição especial da seção Literarte com poemas românticos, além do Projeto Poesia no Shopping, também composto por estes mesmos poemas e da Sanfona Poética "Canções de Amor" e do Projeto POESIA NA RUA, com trecho de poema de Luiz C. Amorim, estampada em out-doors pelas principais cidades do estado.

 

MEU POEMA


Luiz Carlos Amorim


Como vou fazer poema
se o seu sorriso tão meigo
é o verso mais bonito
que jamais vou escrever?

O meu poema é você,
a inspiração/emoção,
a rima do corpo-a-corpo,
pele-a-pele, boca-a-boca,
o ritmo em sincronia
de corações como um só,
a métrica da ternura.

Minha poesia é você.
Pra que então escrevê-la?
Fiz-me poeta em você,
poeta em seu amor...
Vem comigo, minha musa,
vem morar neste poema...


 

DIVERSAS MANEIRAS


Silvinha


Quero meu verso sem fronteiras,
sem rimas nem muros...
Em cantos, em risos,
em mares... em céus...
Quero meu verso sem limites
de linhas e folhas...
Em olhares, em vozes,
em ventos... em ti...

E seu eu te olhar,
que meus olhos tragam
os brilhos guardados
de tantos poemas,
as frases perdidas
de tantas esperas...
Que meus olhos
te falem de amor...

 

 

TRADUÇÃO


Luiz Carlos Amorim


Pra que traduzir em palavras
o que o coração bate forte
e os olhos dizem tão bem?
Não é preciso palavras
quando estamos nós dois,
quando estamos nós, a sós,
nós, como um só, mais ninguém.
Emoções não são palavras,
sentimentos, muito menos.
Os olhos, sim, dizem tudo,
têm a linguagem perfeita.
E quando a emoção, o amor,
comandam o coração,
aflorando aos nossos olhos,
não é preciso mais nada.
É deixar o coração
comandar nossos sentidos,
deixar falar nossa pele,
nossos olhos, nossos corpos.
Há discurso mais bonito?

 

 

BUSCA

Else Sant'Anna Brum

Naquele raio de sol

eu te busquei.

Naquele doce luar

te procurei.

Fui às estrelas

todas da amplidão,

não te encontrei.

Perguntei a mim mesma:

- Onde estará meu bem?

E meu amor

te encontrou então:

Tu estás

Dentro do meu coração!

 

 

A JANELA


Luiz Carlos Amorim


Teus olhos, mulher, são assim:
meigos, brejeiros, castanhos,
malandros, sinceros, brilhantes,
essas luzinhas acesas
na janela do teu rosto.
E essa luz na janela
na janela do teu rosto,
convite irresistível,
me atrai para dentro,
no aconchego carinhoso
do teu/nosso coração.
E eu me sinto em casa,
com todo amor que há lá dentro.
Só saio pra ver de novo,
na janela do teu rosto,
aquelas luzes castanhas
convidando-me a entrar.

 

 

MUSA INSPIRADORA

Wilson Gelbcke

Palavras soltas ao vento
buscam se encontrar...
Em prosa e verso,
toque de encantamento,
palavras se unem, se completam,
para amor declarar!
Nenhuma magia ou dosagem,
Poção milagrosa sequer...
Em prosa e verso,
toque de emoção e coragem,
palavras se unem, se completam,
o milagre é mulher!
Musa que sussurra
vocábulos de inspiração...
Em prosa e verso,
toque de amor e ternura,
palavras se unem, se completam,
fala o coração!

 

 

VOCÊ
Luiz Carlos Amorim


Você, ah, você,
que invade meu coração,
infiltra-se no meu sangue
e aguça os meus sentidos...
Vem, me afaga, me afoga,
nessa fuga desenfreada
do mundo fora de nós.
Vem e pisemos juntos
este caminho só nosso
para o país do amor.

 

 

CORES

Maria de Fátima B.Michels

Outonais...
são deste meu sentir as cores
Prismas inúteis em tempos sem arte
sou tela vazia, emudeço,
destarte.
Beleza há !
Tanta!
Mas não sei pintar desejos inconfessos
de Van Gogh
Sinto paixões do laranja ao ocre
fugidio
trigais repletos
Em mim
há consciência em tons de outono
em terciária
cor
Em ti
vermelho, azul e amarelo
brincam em distraída primavera
no tom do amor.

 

 

TEU SORRISO


Luiz Carlos Amorim


Teu sorriso é minha casa,
minha luz, porto seguro,
o meu horizonte, infinito.
Teu sorriso é boa vinda,
é ternura do aconchego,
é calor que me aquece.
Teu sorriso é primavera
que se espalha por teu rosto
e sorri a tua boa
e sorri o teu olhar
e sorri teu coração
e sorri a tua alma...
Teu sorriso
é meu ponto de partida
e meu ponto de chegada...

 


Edições anteriores de LITERARTE


VOLTAR