TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Domingos Oliveira Medeiros

 

NÃO QUERO QUALQUER LIBERDADE


Não quero a liberdade de ser livre, apenas.
A liberdade de ir e vir.
De procurar emprego.
E não achar.
Não quero a liberdade de escolher, somente.
De votar. E não ser representado.
Ter o anseio ameaçado.
Ignorado.

Não quero ver o meu eleito, de fato e de direito,
em outro partido.
Sinto-me enganado. Traído.
Por uma espécie de camaleão político.
Que muda de cores, ao sabor dos seus interesses.
Escusos.

Sou a favor das mudanças prometidas.
Que me cativaram.
Por isso escolhi os que nela acreditavam.
Sem bravatas e sem fanfarrices.
Sem tolices.

Não quero a liberdade para ouvir promessas futuras.
Já fui paciente. Estou apressado. Estou no presente. .
Mas trago o passado na mente. O aprendizado.
Acumulado.

Não sou do futuro. Do futuro eternizado.
Não tenho mais tempo para ser enganado.

Prefiro ser livre, realmente.
Não subjugado.

VOLTAR