TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Eduardo Santiago

 

TERRA E CHAO


 Não somos tolos,
 porque tolos são os homens
 Que acreditam em promessas
 e não na ilusão dos sonhos.
 Gritar por quem, se ninguém,
 Mais que ninguém pode ouvir
 Se o riso é só passageiro
 E a esperança é passado.
 A vida pediu-nos passagem
 Não passou, não sei porque
 Esperou um tempo novo
 Jogados por terra e chão
 Das lágrimas sobrou o brilho
 Dos olhos a languidez
 Quem sabe a solidão dos corpos
 Talvez um dia se acabe.
 Surrados corpos doídos
 Companheiros insensatos
 Dos planos de um novo tempo
 Quem sabe não se transformam.
 Em sal, em sol, em semente,
 Em paz, porque então,
 Se não se ganhar o dia
 A noite terá sido em vão.

 

VOLTAR