TODOS OS POETAS

Antologia Poética

IZABEL DA ROSA CORREA

POEMA PERDIDO

 

Perdi um poema
que perda, um poema!
Um poema é ontem
não tem outra vez.

Um poema é um.
Só um.
(Não há re-sentir)
Espelha só aquele
segundo de fúria
do signo em fuga
do louco que o expulsa
por puro prazer.

Que perda, um poema.
É perla
é pérola .
É mágoa
gravada na pedra.

Na cama-de-vento
camada de insônia
pétreo e aberto
o olho sangüíneo.

Perdi um poema.
Que pena.
Que perda.
Perdão.

 

VOLTAR