TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Josué do Prado Filho


INSÔNIA



Queria dizer-te coisas
que ainda me são inatingíveis
ainda desconexas ininteligíveis:
um perdoa, amor, beijos, coisas assim...
Tenho um coração muito pequeno
para abrigar quanta paixão
que anseio, quero, desejo sem fim.
 
Te peço a luz, os teus conceitos, a mão
que me guiará nos teus caminhos
ensinando amor, beijos e carinhos,
se já me nego a dormir na escuridão.
 
Seja qualquer o teu jeito
digo sim, eu aceito; assim eu quero;
me dê o seu colo, o seu peito,
amor é verdade que não se sabe...
Só sei de mágoas, de preconceitos;
então me dê ao que virá
se já desprezo o fim que isso terá!
 
Meu devaneio; sou mais um louco
que recolhes, que terás ao seu lado,
alguém que aprende, caminha pouco-a-pouco,
tão só mais um teu bobo, apaixonado.
 

VOLTAR