TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Luciene Borowik

 

A PEDRA E A RODA


                                                              

Sonhei um poema que ficou
cravado
na minha não-consciência:
tropeçado, enroscado,
engasgando,
atulhando o meu sonho com palavras
que se evaporaram de mim
quando despertei.
Sobrou-me o título: a pedra e a roda.
Pedra cravada no caminho da roda,
que se joga e entorta de tanto
querer rodar e seguir,
e seguindo mesmo, mas aos espasmos.
Tropicando e troçando dos seus tropeços.
Sonhando poemas sólidos que se evaporam
no volátil despertar.

 

E-mail: lborowik@uol.com.br

 

VOLTAR