TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Marilena Gomes Ribeiro

 

CANTO DE OUTONO

                                                   

Lágrimas de amor povoam espaços
perdidos pelo além das circunstâncias.
Braços abertos procuram abraços
nos verdes mutilados de esperanças.
Dores e mágoas absortas no passado
abrem caminhos vãos de insensatez,
para encontrar nos veios de amarguras
o derradeiro instante de uma última vez.

Sobreponho o coração aos medos,
às mentiras fustigadas de descrenças
para sentir em mim a impaciência
de não poder amar,
de não poder sonhar,
encontrando meus fantasmas interiores
a sufocar lembranças de outros amores.

Plácidos passos caminham pela areia.
Doces compassos, cantos de sereias
no azul risonho da minha mocidade.
Vão-se as esperas, passam-se as bonanças.
Mesmo perdidos , meus dias de criança
voltam-me aos braços
em forma de saudade.


FLOR...BELA

 
Minha poeta triste e amargurada,
eu quero em teu sorriso me encontrar.
Mas tu, no entanto, não sorris por nada
e o teu sorriso mora em meu olhar.

Minha flor bela, tão despetalada...
tu foste um dia o meu desabrochar.
Partiste numa fria madrugada
sem adeus, como um pássaro a voar.

Eu renasci te amando em meus poemas
e fiz de ti, motivo dos meus temas,
falei contigo, às noites, desse amor.

Hoje padeço as dores mais extremas
a dividir-te as mágoas mais supremas
Minha Florbela...minha bela flor.
 

E-mail: mgr21@vnet.com.br

 

VOLTAR