TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Onévio Zabot

 

SAGA POÉTICA EM DOIS MOVIMENTOS

 

I - O Lenhador

 

Raio sonoro

fende a imensidão

furiosa do lenho.

 

Cavacos erguidos

nos umbrais do tempo

sem escolha.

 

Inútil apelo:

Ícaro tombado

no obstinado vôo.

 

Ao transpor

recônditas faces:

ecos de dentro,

 

setas desferidas

à luz dos rochedos

de remota infância.

 

O lenhador lenha,

lenha o vento

que nunca será reposto:

 

ossos de profeta,

- palmo a palmo -

estivados na alma.

 

I - A Lenha

 

Será o fogo

a aquecer a alma?

Vaga-lume desnudo?

 

Será o raio

que rasga

a selva imensa?

 

Ou a flecha fugaz

à espera

do improvável retorno?

 

VOLTAR