TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Pablo de Vasconcelos Negócio



   O BEIJO



Vivo a insana insônia lacônico
Ao ver em seu olhar que sela
Um novo sentimento lírico.
No carro, através da janela,
Vivo nosso momento lúdico
No instante da minha querela:
A perda do que era harmônico.
Rasgar de uma nova aquarela.
De onde barcos jamais zarparam,
Nosso beijo foi como um porto
E assim Você tornou-se ela
Que na mente meu corpo vela.
De um rebelde que agora é morto
Por tantos dogmas que o ceifaram.
 

VOLTAR