TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Paulo Tortello


 
SEMPRE


 
  Toda noite, eu te desejo.
É um desejo triste e quente.
Era um grito que é um bafejo.
Um dente que morde um dente.
 
Desejo-te toda noite
em cada mulher que eu amo.
Cada beijo, cada noite,
cala o teu nome, que eu chamo.
 
E conto amores que tive,
e canto as dores que tenho.
E assim vou lavando a vida.
 
Eu sinto dores horríveis!
Quero parir-me em teus meios.
Meios meio meus ainda.

 

VOLTAR