TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Pedro Cardoso/ DF

 

Amanhecer


entre mãos, ora acaloradas,

sinto a proteção dos deuses,

sem elas não tomaria o rumo

das vertentes de suas vias


solto as rédeas em suas mãos,

em cândidas passadas trilho

ruas antes desertas e frescas,

onde colho frutos maduros


como um aprendiz – cavalgo

por onde você me leva e traz,

no tempo que meu corpo pede

e,sua flor, em êxtase – exige


com a alma molhada e nua,

não sei o que fazer ou pensar,

mas meu corpo em fogo grita:

_ ainda é cedo,fica e me ama

 

 

VOLTAR