TODOS OS POETAS

Antologia Poética

 

Renata Paccola

 

SOBRAS


 
Sobras
são sombras.
 
Sobras do passado,
saudades,
sombras que ainda se movem,
embora estendidas no chão.
 
Sobras,
quebras
dos grilhões de vidro que já não prendem,
mas seus cacos ainda cortam.
 
Sobras,
retalhos,
tijolos,
que foram e serão
partes de uma construção.
 
Sobras,
lembranças que podem-se deteriorar
se não forem bem conservadas.
 
Saudosismos,
sobras inúteis
de fatos perfeitos.
 
Uma lágrima rola,
sobra de tantas derramadas.
 
Frases que poderiam ser ditas,
páginas ainda não escritas,
da história que juntos vivemos,
e que deixamos por terminar;
sobras úteis
de pratos malfeitos.
 
Sobras,
restos imortais
do passado que se confunde com o presente.
 
As sobras de hoje
serão o prato de amanhã,
quando a sombra partirá
e as lágrimas
 
Sobras de uma paixão,
um resto de sol
e uma poça no chão.

 

VOLTAR